Sonae Sierra reduz lucros em 40% para 110 milhões em 2017

Sonae Sierra reduz lucros em 40% para 110 milhões em 2017

No comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Sonae Sierra justifica a queda do resultado com o "menor valor criado nas propriedades de investimento".

Já o EBIT (resultado operacional) aumentou 8,5% face a 2016 para 105 milhões de euros e o resultado direto (EBIT deduzido de custos e impostos) subiu 14% para 65 milhões de euros.

"Este valor reflete um maior EBIT em todo o portefólio da Sonae Sierra na Europa e no Brasil e um aumento do volume de negócios e margens na atividade de prestação de serviços", refere a informação.

A empresa dá ainda conta de que o resultado indireto foi de 45 milhões de euros, menos 79 milhões de euros face a 2016, o que atribuiu "sobretudo à diminuição do valor criado nas propriedades de investimento (menor compressão das taxas de capitalização em Portugal e Espanha em 2017) e à diminuição dos ganhos realizados com vendas de propriedades".

Além disso, recordou, o resultado desta rubrica em 2016 "beneficiou com o impacto favorável da abertura do ParkLake, em Bucareste, na Roménia".

Quanto às vendas dos lojistas de portfólio na Europa (as vendas nas lojas dos centros em que a Sonae Sierra detém a totalidade ou parte do capital), estas cresceram 7,8% em termos homólogos.

Apenas em Portugal e em Espanha as vendas dos lojistas cresceram 5,6% e 10,8%, respetivamente, "refletindo uma contínua recuperação económica". Já no Brasil, as vendas subiram 6,8% (em reais brasileiros).

A taxa de ocupação global do portefólio cedeu, em 2017, 0,6 pontos percentuais para 96%.

Já as rendas aumentaram 7,6% em termos globais, tendo sido na Europa o crescimento de 8,4% e no Brasil de 4,9%.

O presidente executivo da Sonae Sierra, Fernando Guedes Oliveira, considerou, citado em comunicado, o ano de 2017 "muito positivo para a Sonae Sierra, quer em termos operacionais, quer em termos financeiros".

Ainda no ano passado, a Sonae Sierra continuou a "estratégia de reciclagem de capital", com aquisições e alienações.

O fundo Iberia Coop (onde a Sonae Sierra tem 10%) adquiriu o Albufeira Retail Park e a sociedade Ores (onde a Sonae Sierra detém 3,75%) comprou 16 propriedades de investimento (nove em Espanha e sete em Portugal).

A empresa adquiriu ainda, numa parceria com a AXA-real assets, a Área Sur Shopping Centre, em Espanha, e adquiriu o MaiaShopping e o GuimarãeShopping ao Sierra Fund, numa parceria com a Ocidental.

Por fim, o Sierra Portugal Fund vendeu o AlbufeiraShopping e o Continente de Portimão à Square Asset Management, ainda que mantenha a gestão.

A empresa tem ainda vários projetos em desenvolvimento, nomeadamente em Espanha, Portugal, Itália, Alemanha, Marrocos, Colômbia, além das expansões dos centros comerciais NorteShopping e Colombo, em Portugal.

Original Article